Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Pessoas’ Category

Não se pergunte por que as pessoas enlouquecem. Se pergunte por que não enlouquecem. Diante do que podemos perder num dia, num instante, se pergunte que diabos é isso que nos faz manter a razãoGrey’s Anatomy –  4.15 “Losing My Mind”

Sabe aquele momento em que você para por um instante e pensa que esse não era o lugar em que você queria estar? Que essa não era a vida que você queria para você e que essa rotina massante atinge tanto o seu corpo que a vontade que você tem é de passar o dia inteiro dormindo? Suas costas doem por causa do peso que você carrega. E olhe que sua bolsa é leve. O que será, então? As pessoas costumam chamar isso de somatização, ou seja, quando o seu corpo responde a algo que não é da ordem do corpóreo. Eu prefiro dizer que o que dói, na verdade, não são as costas, mas o imperativo “tenho que”. Daí você olha para o lado e vê que o outro está sofrendo também. É a mesma dor? Não ousaria medir ou comparar, de fato. Mas quando ele começa a elencar os mesmos motivos, falar das mesmas aflições e lamentar as mesmas impotências, um comum se fez presente. Poderíamos dizer que tal pessoa apresenta os mesmos sintomas que você numa linguagem “diagnosticante” e que, por isso, vocês sofrem do mesmo mal. Não se sofre mais sozinho. Não se está mais sozinho. Quando se tem tanta gente sofrendo nesse mundo, é quase egoísmo sofrer sozinho…

Isso não significa dizer que você não sofre só porque o outro compartilha com você a mesma dor, mas sim que se sofre em conjunto porque existem uma série de exigências sociais que fazem com que você seja como é. Talvez você sofra quando o seu corpo não suporta a demanda. Que sociedade é essa que faz com que soframos tanto? Que sociedade é essa que nos faz nos sentirmos culpados por estar fazendo a coisa certa? Longe de qualquer ar de militância que este texto possa estar tomando, questiona-se o fato dos corpos serem disciplinados de forma tal que por mais fortes que sejam forjados a ser, não aguentam a pressão e adoecem. O sono intermitente, a vontade de não continuar o que se pretendia e a necessidade quase constante de que alguém diga que as coisas irão dar certo, um dia. Você não confia mais em si mesmo por ter se colocado nessa posição e procura alguém que, para além de um abraço, diga que talvez essa “crise” seja só uma fase. Será que poderíamos pensar em um chefão que precisamos derrotar, resgatar a princesa e finalmente passar de fase? Nunca fui muito boa em video-games.

Estamos velhos e cansados aos 20 anos. Não somos corajosos o suficiente para desistir porque outras pessoas dependem da nossa continuidade nessa vida embotadora de desejos. A paixão inicial foi minando aos poucos e não sentimos mais a mesma alegria por estar realizando determinado trabalho. E temos reflexos nos nossos corpos: olheiras, varizes, marcas de expressão e um olhar triste, carregado dessa angústia. Esperniamos, gritamos, choramos – talvez nem esperemos mais que alguém ouça nossa voz silenciada – mas o corpo responde assim. A vontade de viver, a potência de produzir novos mundos se esvai em meio a corpos impotentes. Vivemos no entre o saber que precisamos fazer algo para modificar o estado atual das coisas e o fato de que nossos corpos, cansados, não são mais tão desejantes quanto outrora.

Carmem
Anúncios

Read Full Post »

Segredos

Abro o jogo!
Só não conto os fatos de minha vida:
sou secreta por natureza.
Há verdades que nem a Deus eu
contei. E nem a mim mesma. Sou
um segredo fechado a sete chaves.
Por favor me poupem.

Clarice Lispector

 

Beijo,

Carmem

 

Read Full Post »

hehe

We Heart (♥) It

Não sejam! Não sejam! Não sejam pessoas efusivas, esse é o apelo que eu faço.

Os efusivos comportam-se com sorrisos demais, abraços demais, conversas demais, detalhes demais, perguntas demais, proximidade demais, adaptam-se rapidamente, achando tudo ótimo, não reclamam, sempre estão no ápice da felicidade, dispostos a lhe ajudar, mesmo quando você não pede, e nem queira, são disponíveis demais. TUDO SEM AS MENOR INTIMIDADE CONOSCO. Na maioria dos casos, mostram-se ao final de tudo, como seres de extrema falsidade. Parecem ser bonzinhos, preocucapos, legais, etc., mas depois de algum tempo demonstram quem são realmente.               ( Definição retirada dessa comunidade aqui )

Acho que o mais adequado seria dizer que eu tenho medo de pessoas efusivas. Sempre me indentifiquei muito com os atores ou artistas globais famosos que declaravam que não falavam das suas vidas pessoais. Eu dou total apoio. Só porque eles são famosos, não tem de ter uma vida perfeita morando na casa dos sonhos com o parceiro ideal e que amanhecem com uma pele impecável todos os dias. Eles não são máquinas de atuar, caso vocês não tenham percebido.  Depois dessa elaboração toda em defesa das pessoas que querem resguardar suas vidas, ouso dizer que por essa tamanha intromissão na vida de outrem, não gosto de pessoas efusivas. Elas lutam a qualquer custo por uma informação e nos dias em que estou muito besta acabo contando verdades em outros acabo mentindo – maioria esmagadora das vezes –  o que é ruim porque eu tenho que arcar com as conseqüências dessas pequenas mentirinhas depois (Isso me lembra uma série fofa: Pretty Little Liars *-*). Acabo de declarar que eu sou uma pessoa mentirosa, é isso? Não, não é isso. Eu apenas prefiro omitir certos fatos, evitar certos tópicos de conversa para evitar ainda que um Carmem mal – educada que não gosta de pessoas efusivas apareça. Ou talvez como existem verdades que nem a mim mesma eu contei, parafraseando a Clarice Lispectos, não saiba lidar com elas.

O importante é que não estou dizendo que não gosto de conversas, de abraços ou sorrisos, pelo contrário, gosto e sinto falta disso como mencionei em algum momento por aqui. O problema reside no fato de tais “tipos” de pessoas se aproximarem com 90348943776 intenções acompanhada de falsidade o que me incomoda bastante. Isso me lembra muito a Meredith Grey de Grey’s Anatomy nas primeiras temporadas.  Ela praticamente abominava essa coisa de compartilhar detalhes da sua vida com efusivos e até mesmo fingir que realmente nos importamos uns com os outros. Hoje, na sétima temporada podemos ver o crescimento dela tanto quanto ser humano quanto médica, mas isso fica para quem é fã, como eu ♥ Claro que eu não estou dizendo aqui que não nos importamos com as pessoas, pelo contrário, eu me imp0rto com as minhas pessoas e não com todas as pessoas, confesso. Não é bem uma troca, mas como diria o outro, é o que se produz do encontro, do choque entre dois corpos que dá voz e corpo a uma relação, se assim a entendemos. Engraçado como eu comecei esse post falando de pessoas efusivas e acabei falando de relações e outras coisas e acho bacana isso. Não devemos cortar o nosso fluxo de pensamento e foi o que eu fiz com esse post que acabou ficando confuso por demais hihi

Para concluir , não gostar de pessoas efusivas não significa não gostar de pessoas felizes – um coisa é bem diferente da outra. Estou reclamando daquelas que fingem se importar com você como se a vida já não nos pregasse peças suficientes. Posso até ousadamente dar um conselho a quem lindamente lê essas tortas palavras de que “tente ser menos efusivo no seu dia – a – dia e faça do mundo um lugar melhor” mas não vou fazer isso. Se os efusivos não existissem, esse post não existiria e eu teria uma coisa a menos para reclamar nessa vida, apesar de me perguntar se tem algo de bom nessa proposição que acabei de escrever…

Enfim, muitos fãs de pessoas efusivas por aí? 😀

 

Beijo,

Carmem


P.S. 1) Desculpas pelo post anterior e a arrogância extrema. Dessa vez colocarei a culpa nos hormônios…

2) A foto que ilustra esse post pode parecer estranha para alguns, mas eu achei que essa dose de humor negro caberia aqui.

Read Full Post »

Eu nunca…

Zooey Deschanel toda linda *-*

joguei PaintBall =/

 

Quem já viu o filme 10 coisas que eu odeio em você com o fofo do Heath Ledger e a Julia Stiles há de concordar comigo que aquela cena em que eles se beijam depois do Paintball é uma das cenas mais bonitas que eu já vi no cinema! (Eu sou exagerada mesmo, o que eu posso fazer? hehe) Bonitas e fofas também! E foi depois dessa cena que a minha vontade de jogar Paintball aumentou drasticamente 🙂 E olhe que esse filme é de 1999, então, a minha vontade de jogar paintiball deve estar perto de fazer aniversário de 10 anos O.o Não encontrei um link válido para a cena, mas o filme é bem clássico, então é bem provável que todo mundo conheça – daí o trailer 🙂


Em algum episódio de The Big Bang Theory (S02E16),a turma vai jogar Paintball e caramba! Se até Sheldon se diverte no Paintball porque eu não posso? Por que eu não sei de nenhum lugar aqui no estado que tenha um-lugar-lindo-e-magico para se jogar Paintball :/ Teve uma coisa local na Fevest organizada pela UNIT ( Universidade Tiradentes) ano passado, mas não tive como ir seja lá quais forem os motivos.

Tem umas coisas bem assustadoras sobre Paintball na internet, sabe? Imagens tensas mesmo, parecendo que as pessoas estão indo a uma guerra O.o Mas mesmo assim eu espero um dia brincar com essas bolas de tinta colorida e voltar para casa suja e feliz apesar dos muitos hematomas *-*

 

Beijo,

Carmem

 

P.S. Imagens retiradas daqui e daqui 🙂

Read Full Post »