Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Filmes’ Category

Últimas aquisições

No começo desse blog, eu fiz um post gigante sobre Chaplin (aqui), descrevendo um pouco da minha paixão por ele e das coisas que eu tinha até então. O tempo passou e as minhas aquisições aumentaram. Foram poucas, verdade. Mas tenho algumas coisas para mostrar *-* Não sei se comentei no post anterior, mas eu estabeleci como meta, comprar os DVD’s dos quais eu não tinha cópia nem como baixar na internet, considerando que eles seriam mais raros e eu compraria em oportunidades únicas!

 Monsieur Verdoux comprei na DVD World pela metade do preço da Saraiva e chegou em 5 dias numa embalagem acomodadinha e cheia de plástico bolha! Ele é o DVD mais bonito que eu tenho: olha como dentro é mais organizado e tem mais figuras? Ele é distribuído pela Warner e é assim todo lindo. Como os outros são de outras coleções/distribuidoras, não são assim como vocês poderão ver =/

O Um Rei Em Nova York comprei na Livraria Cultura mais que linda do Salvador Shopping! Eu fiquei procurando com o vendedor todos os títulos do Chaplin distribuídos em ordem alfabética na sessão de clássicos. Tinha Tempos Modernos, O Grande Ditador e Luzes da Cidade, mas como a minha meta era comprar um DVD teoricamente difícil de encontrar, acabei trazendo só um DVD para casa. Isso também se deve a Renata que me ajudou a controlar o meu espírito gastador e não trazer os demais títulos – obrigada, amiga! *-* O que foi muito bom porque eu já encontrei esses mesmos títulos beeem mais baratos nas minhas rondas pela internet. Na Saraiva não tinha nenhum exemplar do Chaplin e o vendedor que me atendeu fez uma cara de “Olha só! Uma mocinha dessas procurando por Chaplin…” hehe 🙂

O Casamento ou Luxo foi uma compra engraçada porque foi feita em plena comemoração de Dia dos Namorados! haha Comprei no Painel Musical e foi o produto que eu recebi mais rápido nessa vida! Comprei no domingo à noite e na quarta pela manhã já estava aqui! Além do e-mail super atencioso que o pessoal me mandou perguntando o que tinha achado da loja e se o meu produto tinha chegado em ordem. A coisa mais fofa, gente. Sério! Não sei vocês, mas adoro ser bem tratada por lojas, principalmente quando você percebe que não são e-mails automaticos.

Tanto o Em Busca do Ouro quanto a Autobiografia dele (que era sonho de consumo mesmo! São mais de 500 páginas de muitos afetos a serem compartilhados com os leitores) ganhei da mamãe graças ao Submarino e suas promoções relâmpago.Vejam como o livro é lindo! Tem vááárias páginas com fotos como essa e eu espero que eu consiga ler um pouco nas férias.

Bom, acho que foi isso! A minha coleção deu uma aumentadinha, mas ainda tenho muito chão a percorrer… (Acho que não  precisa de foto da coleção completa, né?) O detalhe é que eu ainda não vi nenhum desses, mas nas férias farei uma senhora maratona chapliniana *-*

Ah, deixo um apelo:

Se você, querido leitor desse blog, encontrar um link disponível para Luzes da Ribalta, deixe-o aqui, por favor! Já procurei em todas as livrarias e lojas de DVDs que eu conheço além do Mercado Livre e do Toda Oferta e cansei de colocar o meu e-mail para me “avisarem quando estiver disponível”. Não encontro nenhum exemplar perdido por aí. É…isso é quase verdade. Encotrei um VHS, mas comprar não seria uma boa ideia hehe Esse DVD é a minha meta para esse 2011, no que diz respeito ao Chaplin, portanto, ficarei muito feliz se conseguir comprá-lo. 

Beijos,
Carmem

Read Full Post »

Acho que eu já falei desse filme no post sobre Paintball, né? Mas ele é tão lindo que merece um post especial *-*

A primeira vez que eu vi 10 Coisas que eu Odeio em Você foi numa sexta – feira qualquer naquela sessão de cinema do SBT de toda a sexta (não lembro o nome) e fiquei impressionada com a beleza do filme. Tudo bem que ele parte daquela velha ideia de besteirois americanos : Cara mau é levado a conquistar a mocinha por causa de um aposta, mas ela descobre tudo e não quer mais ficar com ele. Só que nessa coisa de aposta, eles acabam se apaixonando e o ex-cara mau fará de tudo para reconquistar a mocinha e provar que o que ele sente é real mimimi.

Esse seria mais um filme que seguiria a risca esse esquema se não fossem a sagacidade da Katharina (Kate) Stratford (Julia Stiles),  a graça do Cameron James (Joseph Gordon-Levitt) e a fofura de homem mau do Patrick Verona (Heath Ledger). Vale lembrar que o filme é uma adaptação da Megera Domada de Shakespeare e o longa foi lançado em 1997 (EUA) e 1999 aqui em terras tupiniquins.

Assim, o filme sai um pouco da formula por causa da Bianca (Larisa Oleynik) , irmã de Kate que quer namorar com o cara mais metido e ridiculo da escola popular da escola, mas o pai (Larry Miller) – que como obstetra louco acha que se suas filhas namorarem vão ficar imediatamente grávidas O.o – impõe como condição a irmã mais velha namorar primeiro (até pouco tempo atrás tinha disso em famílias tradicionais, oi? ). Só que Kate não tem muitos amigos (uma megera, olha aí) e não pretende ficar com ninguém tão cedo, muito menos com aqueles garotos toscos da escola. Para resolver esse problema, Cameron (louco pela Bianca) decide ajudá-la a juntar sua irmã com o Patrick às custas do cara popular que acreditando que vai se dar bem com a Bianca, financia essa bagunça toda. Não imagino outros atores fazendo os personagens da Kat e do Patrick : a sintonia da Julia e do Heath é incrível e deu super certo! (sim, eu chamo os atores pelos primeiros nomes mesmo…)

Acho que uma das partes mais emocionantes do filme é quando a Kate lê um poema que ela fez como tarefa de uma disciplina, depois de ter descoberto da aposta e tudo mais. Eu choro junto com ela (mesmo) e acho que um dia eu posso fazer a minha própria versão dele, quem sabe… Bom, é a parte mais bonita do filme para mim *lágrimas* e eu compartilho ela agora tanto em vídeo quanto em escrito *-*

10 coisas que eu odeio em você

1 Odeio o modo como fala comigo e como corta o cabelo.
2 Odeio como dirige o meu carro.
3 E odeio seu desmazelo.
4 Odeio suas enormes botas de combate e como consegue ler minha mente.
5 Eu odeio tanto isso em você, que até me sinto doente.
6 Eu odeio como está sempre certo.
7 E odeio quando você mente.
8 Eu odeio quando me faz rir muito, e mais quando me faz chorar.
9 Eu odeio quando não está por perto, e o fato de não me ligar.
10 Mas eu odeio principalmente, não conseguir te odiar.
Nem um pouco, nem mesmo por um segundo, nem mesmo só por te odiar.

Eu tenho esse filme aqui no computador (pretendo comprá-lo um dia *-*) e posso dizer que sempre que assisto eu me emociono, ainda mais depois da morte do Heath Ledger. Super recomendo o filme mesmo que muitos possam dizer que a fórmula é velha e sei lá o que. E daí? Como diria o Sergio Reis: Panela Velha é que faz comida boa e eu adoro esse filme! Chorava muito nas primeiras vezes que via, mas agora cresci e não choro mais com tanta frequencia (mentira hehe). E por falar nele, além de super engraçada a cena, tem como não amá-lo cantando “Can’t Take My Eyes Off Of You” ? ♥__♥

Desculpa pelo post  gigantoso de minininha mas é que eu não me controlo quando são coisas que eu gosto tanto hehe Se alguém já conhecia, o que achou do filme? E quem não conhecia, fica a super dica.  🙂

Beijo, 

Carmem

P.S. Imagens do Google Imagens de sempre. 

Read Full Post »

Dory, sua linda!

Tem como não amar a Dory, gente? Ela rouba a cena em Procurando Nemo (Oi, Disney! Acho que um filme só da Dory seria ótimo! :] )  e tem um carisma incrível. Acho que todo mundo lembra do sucesso que foi esse filme quando foi lançado em 2003 e até bateu recordes de bilheteria sendo considerada a animação mais rentável de todos os tempos segundo o Wikipédia. Acho que não preciso contar muito da história, né? Filho de um pai super protetor Nemo (peixe palhaço) acaba saindo para nadar em alto mar para provar para o pai que consegue se virar sozinho. Mas é capturado por um mergulhador e vai parar em um consultório odontologico em Sydney. Ao longo do filme, Marlin ( o pai de Nemo) nada por todo o oceano, enfrentando vários perigos (tipo, um tubarão vegetariano ou uma tartaruga hippie e outras muitos doidjas ou um peixe que acredita nunca ter comido um peixe – risada na certa hehe) ao lado de Dory, sua fiel companheira.

A Dory é super fofa, linda, simpática… ♥ Ela sofre de “perda de memória recente” ( “Como se fosse a primeira vez” feelingse acredita falar a suposta língua das baleias,  o “baleiês”. Não sei se ela é a personagem preferida de vocês, mas com certeza é a minha *-*

Um dos melhores quotes dela, sem dúvida hehe

– Dori, tá vendo alguma coisa?
– Ai, alguma coisa me pegou!
– Calma Dori, sou eu!
– Quem taí?
– Sou eu Dori!
– Você é a minha consciência?
– É, é, sou eu, sou eu. Já faz um bom tempo que a gente não conversa, como vai?
– Bem, não dá pra reclamar!
– Agora Dori, me diga, está vendo alguma coisa?
– Tô vendo, tô vendo uma luz! Ô consciência, eu morri?

Espero que tenham gostado desse post que é mais do que uma dica de filme fofo para um domingo é quase um puxão de orelhas e um incentivo a se seguir em frente. Parafrasendo a Dory: ” Se a vida decepciona, sabe qual a solução? Continue a nadar…Continue a nadar…Continue a nadar pra achar a solução nadar, nadar… “

Beijo,

Carmem

P.S. Imagem retirada do Google Imagens. 

Read Full Post »

Montauk

Quão feliz é o destino de um inocente sem culpa!
O mundo em esquecimento pelo mundo esquecido.
Brilho eterno de uma mente sem lembranças!
Cada orador aceito, cada desejo renunciado.

(Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças )

De 2004 e dirigido pelo Michel Gondry, Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças (Eternal Sunshine of the Spotless Mind) é com toda a certeza um dos meus filmes preferidos. Assisti pela primeira vez numa tarde qualquer com um grupo de amigos em 2006 ou 2007 e de todos do grupo, apenas eu e outro colega gostamos do filme. É claro que ver o Jim Carrey em um papel diferente do que estamos acostumados (vide Ice Ventura e O Todo Poderoso) pode parecer estranho para alguns ou ver a Kate Winslet com seu cabelo quase arco-íris tão diferente da recatada Rose de Titanic não pareceu agradar aos meus amigos. O Jim não perde o jeitão dele nesse filme – tem umas cenas muito boas de quando ele é criança e apanhava dos coleguinhas ou quando ele encontra a Clem ajudando a mãe dele a cozinhar – até porque, se gênero valer de alguma coisa, ele é classificado como Comédia Romântica. Falar desse filme com outros e receber um ” Você gostou daquilo, foi? Filme mais confuso! Não sei quando é memória, quando é de verdade e acabo não entendendo nada”. E a beleza está justamente no não saber, para mim. Já vi o filme algumas muitas vezes e não canso de dizer que Joel e Clementine me conquistaram ♥

Para quem não conhece, a história é a seguinte: Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet) formavam um casal que com todas as diferenças tentaram durante anos fazer com que o relacionamento desse certo. Porém, Clem, cansada de tantas tentativas fracassadas, decide se submeter a um tratamento experimental que promete apagar memórias, e daí resolve apagar todos os momentos vividos com ele (sim, entregando todas as coisas que pudessem lembrá-lo e gravando uma fita explicando o porque da decisão). Joel descobre o que Clem fez e resolve fazer o mesmo. Só que de alguma forma, ele decidi lutar contra o “tratamento” e luta para encaixar Clementine em momentos em que ela não participa, já que só os que ela participa serão apagados, se ele a levar a outro lugar, possa ser que as lembranças permaneçam. O filme conta ainda com a Kirsten Dunst (A Mary Jane do Homem Aranha) e o Elijah Wood ( O Frodo do Senhor dos Anéis).

Depois dessa sinopse vocês podem imaginar como o filme corre, né? Vemos um emaranhado de memórias da Clementine, do Joel e novas memórias criadas pelo Joel para a Clem permanecer na vida dele, ao menos em lembrança, o que para mim, seria pior que uma mente sem lembranças. Não vejo muito problema em se lembrar de um passado que foi vivido, mesmo que a pessoa tenha de machucado para caramba ou mesmo que o relacionamento não tenha dado certo. Tudo bem que às vezes é esse mesmo passado que nos causou (e pode ainda causar) dor e nos faz derramar lágrimas. Pergunto:  E daí? Foi bom enquanto vocês estavam juntos? Foi divertido? Apagar essa pessoa da sua memória pode até funcionar, mas as marcas que ela deixou em você (sim, acredito que todo mundo muda depois de um encontro) não serão possíveis de apagar, uma vez que já não podem mais ser separadas de você. Parafraseando o Pequeno Príncipe, cada um que passa em nossa vida leva um pouco de nós e deixa um pouco de si mesmo. Enfim, o filme me faz levantar tantas questões e talvez cogitar uma mente sem lembranças não me parece uma escolha de vida muito válida…

Já ouvi muitas mulheres falando que são parecidas com a Clem quando o assunto são relacionamentos. Confesso que me identifico com ela em algumas cenas, mas tem outra coisa que eu admiro nela além da personalidade: o cabelo colorido! *-* Vermelho, Laranja, Azul, Amarelo, Verde estando ou não desbotados. Como eu já tive cabelo colorido (depois conto mais dessa história) o modo como as cores dos cabelos dela são trabalhadas no filme vale o comentário. Claro que a Clem é muito mais que cabelo colorido. É muito mais que um corpo bonito. É muito mais que uma moça que está cansada que as pessoas cantem aquela música insuportável sempre que ouvem o seu nome. É mais e ao mesmo tempo é isso, em toda a sua completude complexa.

Falei do filme como quem fala de um filho, mas quem não o conhece pode querer saber que diabos é Mountauk, provavelmente. Tem uma cena (linda, por sinal) que a Clem diz: ” Encontre-me em Montauk”. Fazendo uso das palavras da Paula Generosi Machado (desculpa, não tenho link do blog onde consegui isso), podemos tentar entender que lugar é esse, se é que é um lugar…

Montauk é o preto no branco
É onde a areia é gelo
e o coração esquenta

Montauk é lembrança,
É o grito
É o pranto
É a dor
O êxtase
A alegria

Montauk, apesar de tudo é a lágrima que corre quieta, consentida
A delícia de sofrer e lembrar
O reencontro
A separação e a despedida

Montauk é onde eu te busco quando esqueço,
É onde eu lembro onde eu te perco. É onde eu me acho e volto a sonhar

É o meu lugar.
O meu paraíso.
Minha fuga.
O que me faz sorrir é que sempre haverá montauk
Mesmo depois do fim.

Bom, espero que aqueles que não conhecem, ao menos conheçam esse filme lindo que me faz chorar, me faz rir e me faz ter saudade do meu cabelo colorido – clique aqui para o trailer. E para quem conhece, o que acham do filme?

Beijo,

Carmem


P.S. 1) Imagens retiradas daquidaqui.

2)Comprei esse filme no Submarino e ele me prometeu que o DVD chega até o dia 15. Assim que chegar quero ver de novo para garantir que eu ainda sei algumas falas decoradas hehe 🙂

Read Full Post »

Eu nunca…

We Heart It

vi filmes de  terror! Nem os clássicos!

Isso é sério! Será que preciso de ajuda?!  Será que tenho probleminhas ?! Como posso ter 20 anos e nunca ter visto Sexta – Feira 13 ? Uma catástrofe. Brincadeira. Não acho que preciso de ajuda. Vivo muito bem tendo mais esse fato a acrescentar a lista de coisa que eu nunca fiz. Vou tentar fazer uma lista razoável de alguns clássicos para vocês entenderem a gravidade da coisa:

Nosferatu, uma sinfonia do horror (1922)

Drácula (1931)

Psicose (1960)

A noite dos mortos vivos (1968)

O Bebê de Rosemary (1968)

O Exorcista (1973)

O massacre da Serra Elétrica (1973 e remake em 2005)

Halloween – A noite do Terror (1978) e tem mais uns 9 filmes dessa franquia.

O Iluminado (1980)

Sexta – feira 13 (1980)

Poltergeist, o fenômeno (1982)

A Hora do Pesadelo (1984)

Chuck, o boneco assassino (1988); A noiva de Chuck (1998)  e O filho de Chuck (2004)

Seven – Os sete pecados capitais ( 1995)

Pânico 1 a 4 (1996, 1997, 2000 e 2011 – 15 de abril O.o )

O Chamado (2002), O Chamado 2 (2005 ) e teremos um O Chamado 3, sem previsão de estréia.

Freddy vs. Jason (2003)

Jogos Mortais – ou Saw – 1 a 7 ( de 2004 a 2010 )  Esse povo não cansa, viu?

A Casa de Cera (2005)

Só para não dizer que eu sou mais medrosa do que eu já sou, vi dois filmes no cinema que podem se adequar a esse gênero: Almas Reencarnadas (2005) e Contatos de 4º grau (2009). O primeiro eu fui com duas amigas e tem tempo como se pode ver pela data. O filme me fez rir loucamente em muitos momentos. Eu e a sala toda do cinema por conseguinte. O filme conta a história de um professor que fica louco como nos é mostrado e acaba matando uma galera em um hotel. Muitos anos depois, alguém resolve fazer um filme sobre o caso e uma moça, escolhida pra estrelar o filme acaba sendo perseguida pelos mortos, encontrando a câmera em que o assassino tirava fotos e mimimi. Credo! Contando assim parece ser um filme bestinha, mas é até razoável. Voltando ao que me fez rir, foi o barulho que o olho da boneca de porcelana da menininha que ilustra o cartaz do filme fazia sempre que estourava. Parecia um ovo cozido tendo a casca quebrada ou algo do tipo, além do quase – susto que sempre tomávamos. Foi uma experiência interessante porque eu não tive pesadelos depois TODOS COMEMORA o/

O segundo, fui ver no cinema com um amigo e com a minha irmã por pura falta de opção: queríamos ver um filme e esse era o único que encaixava no nosso horário. Por ter uma psicóloga como protagonista, achei que poderia entrar animada para ver o que ela iria aprontar. O filme é baseado em uma série de desaparecimentos que ocorreram em uma pequena cidade do Alasca a partir dos anos 60. Apesar das diversas investigações do FBI (wow!), eles nunca chegaram a encontrar uma solução ou os próprios desaparecidos. A partir de então, a Dra. lá, começa a gravar suas sessões com pacientes traumatizados e acaba descobrindo algumas evidencias de abduções alienígenas O.o Bom, o filme apresenta um misto de imagens reais com imagens encenadas e mesmo que eu não tenho acreditado nessa coisa de alienígenas, acho que vale a pena vê-lo.

We Heart It

Quem conhece um pouco de seriados deve ter ouvido falar de The Walking Dead. Graças ao meu namorado que faz o favor de gostar desse tipo de coisa, eu acabei vendo o piloto. Confesso que fechei os olhos em muitas algumas cenas e apesar de ter sobrevivido, não sei se quero ver aquela coisa de novo. Céus! Que horror! O.o Para alguns, zumbis podem não ser classificados como terror, mas para mim é sim e muito! Talvez eu nunca tenha visto filmes de terror por puro medo mesmo. Minha mãe nunca foi dessas de deixar seus filhos com cerca de 10 anos se divertirem vendo “Chuck, o boneco assassino” que como muitos dizem não passa de um boneco. Concordo. É um boneco e ASSASSINO, GENTE! hehe Os meus amigos me chamavam para ver filme desse gênero, eu acabava inventando uma desculpa ou chegando atrasada para o caso do segundo filme ser algo mais, digamos, assistível por mim. Ao menos eu tenho mais um algo a acrescentar na lista de coisas que eu nunca fiz nessa vida =]

Bom, se alguém se interessa por esses filmes, encontra-se para baixar em muitos sites como esse (http://filmesclassicossss.zip.net/) porque ninguém vai gastar o seu rico dinheirinho com filmes de TERROR, né? kkkkkkkk 😀 Se eu deixei de fora algum clássico, só fazer uso dos comentários. Como eu não conheço os filmes, não posso ter preferidos. Mas vocês, leitores queridos, tem algum filme preferido desse gênero?

Beijo temerosos depois de ver tanta coisa assustadora,

Carmem

P.S. Ajuda para fazer essa lista retirada daqui, daqui e daqui.

O pavor, o horror e o medo não deixaram eu colocar imagens assustadoras nesse post hehe

Read Full Post »

Chaplin lindo ♥

A primeira vez que eu vi Sir Charles Spencer Chaplin (ou Charlie Chaplin, carinhosamente falando) foi em um quadro na sala de uma tia quando eu tinha uns 10 anos de idade. Ela não tem mais esse quadro e não faz a mínima ideia de onde ele foi parar (Sim, o meu instinto CSI já foi investigar =/). Passei um tempo sem nem saber do que aquele tal cara no quadro na casa da minha tia tinha feito de tão especial nesse mundo até que em uma bela tarde de morgação em casa, zapeando os canais, paro na TV Futura, com um documentário lindo sobre o Chaplin. A história da sua vida contada junto com os filmes. Depoimentos de amigos, parentes, colegas de trabalho e pessoas que tiveram a oportunidade de compartilhar silêncios com ele, como diria o outro. Um homem que viveu as duas guerras sem precisar ir a trincheiras. Um homem cujos filmes refletiam sua vida, seus amores e desamores. Nem preciso dizer que chorei, né? *-* Vi esse mesmo documentário uma segunda vez numa noite qualquer, sem muitas perspectivas ou atividades. E lá estava o Chaplin, que mesmo com a história que já me era conhecida e que mesmo assim me emocionou de novo. É quase como assistir e chorar com Titanic 10 vezes hehe

Não vou fazer aqui um post biográfico ou citar os filmes de Chaplin, mas assim como no caso das séries tentarei expressar o meu carinho e admiração por ele em palavras que espero serem claras…

Cena de "O Garoto"

Consegui Tempos Modernos e O Grande Ditador com um professor meu no 3º ano, Poconé. Era muito legal conversar com ele sobre o Chaplin, seja a sua vida, sua obra ou sua arte. Outro professor, dessa mesma escola, trabalhou conosco O Grande Ditador nas aulas de história. Mas ainda me faltava alguma coisa. Ter o Chaplin aqui comigo, fisicamente falando, sabe? E eis que a saga começa porque como ele mesmo disse em sua autobiografia: ” Se quiser me conhecer, assista meus filmes!” É isso que eu estou buscando fazer…

Apesar de toda a magia que esse gênio nos proporciona, tem um lado ruim de ser fã do Chaplin: aquisição de material. E não estou falando apenas do preço absurdo que Saraiva, Submarino,Cultura e afins querem nos cobrar, mas pela dificuldade em encontrar os filmes/livros disponíveis. Dá uma passeada por esses sites e veja a quantidade de produtos “não disponíveis” para ver se eu não tenho razão. A Fnac tem preços amigos, mas nunca encontro nada disponível lá. Triste =/ Cansa cadastrar o meu e-mail naqueles “Avise-me quando estiver disponível” , mas tudo bem. Vamos ver se algum dia eles resolvem repor os seus estoques e me avisar, olha aí!

Ganhei o primeiro DVD do Chaplin original de Natal. O circo foi a escolha do namorado de tanto eu dar indiretas de que queria um DVD do Chaplin e como eu não tinha visto esse, o presente foi ainda mais perfeito *-* Aproveitei a minha ida a São Paulo e comprei mais 3: O garoto e Vida de Cachorro, Curtas n° 1 (Carlitos nas Trincheiras, Idílio Campestre e Dia de Prazer) e Coleção de Curtas 2 ( Os Ociosos, Dia de Pagamento e Pastor de Almas). Não vi nenhum desses e ainda não sei o motivo. Mentira. Acho que sei sim: estou esperando o momento certo aparecer. Foi assim com o documentário, com O Grande Ditador, Tempos Modernos e Luzes da Cidade. O primeiro eu não tenho e não sei como consegui-lo. Os outros dois tenho cópias de DVD e o último tenho o arquivo RMVB graças a esses sites lindos que disponibilizam filmes.  Tenho uma Biografia do Chaplin escrita por Stephen Weissman e uma agenda lindona que me acompanhará nesse 2011. As próximas aquisições, segundo o meu escasso orçamento, serão a AutoBiografia (Estante Virtual, sua linda!) e o Charlie Chaplin, por André Bazin (O Submarino me deu o frete grátis, o que eu poderia fazer? Não comprar seria um crime…).Ah, queria mais do que a Escariz como livraria aqui. Temos Livraria Cultura e Saraiva aqui perto, em Salvador e tenho esperanças de que elas sejam ao menos no estilo das que eu visitei em São Paulo. Se ela forem, será ótimo e explico o porquê. Estarei em Salvador em maio para o CONPSI (Congresso Nacional de Psicologia) daí é provável que eu tenha mais um DVD do Chaplin e até lá eu decido se será Um Rei em Nova York ou Luzes da Ribalta ou Em Busca do Ouro comprados em um dessas duas lojas lindas, mais barato que no site e sem o frete abusivo *-*

Meus amores *-*

Enfileiradinhos...

Biografia e agenda 2011 *_*

Ah, a Universal fez um filme lindão em 1992 com o Robert Downey Jr., chamado Chaplin. É realmente uma biografia contando desde a infância pobre até o recebimento de um Oscar Especial já perto de sua morte. Considerado um clássico da era contemporânea, esse filme é encantador, gente! E chorável por essa manteiga derretida aqui hihi Ah, e os números impressionam:

  • Três indicações ao Oscar, nas categorias: Melhor Ator (Robert Downey Jr.), Melhor Direção de Arte e Melhor Trilha Sonora.
  • Três indicações ao Globo de Ouro: Melhor Ator Drama (Robert Downey Jr.), Melhor Atriz Coadjuvante (Geraldine Chaplin) e Melhor Trilha Sonora.
  • Além de ganhar o BAFTA (The British Academy of Film and Television Arts) nas categorias: Melhor Ator (Robert Downey Jr.). Veio a ser indicado também em outras três, a saber: Melhor Desenho de Produção, Melhor Maquiagem e Melhor Figurino.

Por falar nisso, uma das cenas mais sublimes da história do cinema merece ser comentada aqui: A dança dos Pãezinhos!

Seria impossível eu escolher as minhas cenas favoritas até porque de uns tempos para cá foi que resolvi levar essa paixão mais a sério comprando livros e os filmes. Mesmo o meu conhecimento dele e de toda a sua genialidade sendo limitado, ouso dizer que essa cena com os pãezinhos é um das minhas favoritas assim como a do julgamento do Mounsieur Verdoux, que na verdade é o meu maior desejo do momento! ( Posso mandar o meu endereço por e-mail para receber o presente hehe) Diferente de todos os outros filmes que ele fez e mesmo sem interpretar diretamente o vagabundo ( o que não o faz perder os trejeitos do seu personagem mais conhecido), a genialidade reaparece e nos faz pensar sobre vida, morte, desejos, certo, errado recheados de um humor negro que não nega o seu autor. Vale a pena ler mais sobre esse filme aqui.  🙂

[ Ah, não encontrei links válidos no youtube para essa cena do julgamento, desculpas =/ ]

Outro problema, é a questão da autoria de textos e afins. Você lê muita coisa na internet com a autoria atribuída ao Chaplin. Não temos como saber quais textos são realmente dele e quais não são nessa internet, terra de ninguém. Vemos cônicas, contos, frases e cada coisa linda que nos dizem ser de autoria do Chaplin que é dificil não acreditar que tais belas palavras não pudessem ter sido escritas por ele. Lendo biografias e comentadores, posso tentar extrair as palavras “verdadeiras” por assim dizer, mesmo que não deixe de me levar pelo que vemos nesse mundão que é a rede mundial de computadores…

Eu sei que o post ficou gigante, mas é Chaplin minha gente *-* Para terminar, vagando pela internet ontem, encontrei um blog lindo que se tornou meu mais novo blog favorito: www.charliechaplin.wordpress.com ♥ E foi dele que eu retirei essa música que termina o post. Não precisam apreciar/admirar o Chaplin tanto quanto eu, apenas usem 5 minutos do seu tempo para ouvir essa música linda da qual o Chaplin é co-autor *-* [ Parece que a melodia é do Chaplin, mas a letra não é. Ele fez essa melodia para o filme Tempos Modernos em 1936 e só depois, em 1954, John Turner e Geoffrey Parsons colocaram letra.  Mais informações aqui! Obrigada, pelas informações namorado lindo 🙂 ]

Beijo,

Carmem

P.S. Fazendo esse post, achei a Arena DVD e comprei um DVD barateeenho mesmo com 7 curtas clássicos:  Carlitos Reporter, Corridas de Automóveis para meninos, Carlitos no Hotel, Dia Chuvoso (ou Carlitos e Os Guarda-Chuvas), Joãozinho na Película (ou Dia de Estréia), Carlitos Dançarino e Carlitos entre o Bar e o Amor. Além disso, o livro do Bazin chegou hoje também. Ai, ai… *-*

Atualização: Comprei o Monsieur Verdoux na DVD World pela metade do preço da Saraiva (apesar do frete de quase 10 dinheiros ainda saiu mais barato!) e consegui uma cópia do Festival Mutual 2 🙂

Novos amores *-*

Read Full Post »

Eu nunca…

Zooey Deschanel toda linda *-*

joguei PaintBall =/

 

Quem já viu o filme 10 coisas que eu odeio em você com o fofo do Heath Ledger e a Julia Stiles há de concordar comigo que aquela cena em que eles se beijam depois do Paintball é uma das cenas mais bonitas que eu já vi no cinema! (Eu sou exagerada mesmo, o que eu posso fazer? hehe) Bonitas e fofas também! E foi depois dessa cena que a minha vontade de jogar Paintball aumentou drasticamente 🙂 E olhe que esse filme é de 1999, então, a minha vontade de jogar paintiball deve estar perto de fazer aniversário de 10 anos O.o Não encontrei um link válido para a cena, mas o filme é bem clássico, então é bem provável que todo mundo conheça – daí o trailer 🙂


Em algum episódio de The Big Bang Theory (S02E16),a turma vai jogar Paintball e caramba! Se até Sheldon se diverte no Paintball porque eu não posso? Por que eu não sei de nenhum lugar aqui no estado que tenha um-lugar-lindo-e-magico para se jogar Paintball :/ Teve uma coisa local na Fevest organizada pela UNIT ( Universidade Tiradentes) ano passado, mas não tive como ir seja lá quais forem os motivos.

Tem umas coisas bem assustadoras sobre Paintball na internet, sabe? Imagens tensas mesmo, parecendo que as pessoas estão indo a uma guerra O.o Mas mesmo assim eu espero um dia brincar com essas bolas de tinta colorida e voltar para casa suja e feliz apesar dos muitos hematomas *-*

 

Beijo,

Carmem

 

P.S. Imagens retiradas daqui e daqui 🙂

Read Full Post »