Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Cozinha’ Category

Comida: Pavê de bombom

Estou de TPM a umas 2 semanas. Dessa vez, o enjoo veio forte e eu não ando comendo direito. Mas, nas minhas andanças pela internet, sexta passada eu vi esse pavê no Yahoo! Mulher e me bateu uma vontade louca de fazer.  Na sexta, não consegui fazer porque não tinha um dos ingredientes principais na despensa – os benditos bombons –  e não estava com disposição para ir ao supermercado comprá-los. No sábado, acabei estudando (oi?) e com a velha preguiça que pede cochilos, acabei não saindo para comprá-los também. Daí que domingo passado, eu acordo com a minha mãe falando que foi numa mercearia aqui perto de casa e trouxe os bombons para eu fazer o bendito pavê. Ai que alegria, viu? Corri logo para a cozinha para garantir minha sobremesa delícia e registrei o passo-a-passo para colocar aqui.

Observação importante: adoro raspar a panela na qual é feito o creme branco. Até deixo um pouquinho estrategicamente para mim o/

Fiz algumas modificações da receita original: 1) Usei Serenata de Amor ao invés de Sonho de Valsa; 2)No creme de chocolate, como não tínhamos chocolate em pó aqui, usei o Nescau® que é um pouco mais escuros que outros achocolatados do mercado, mas como ele tem açúcar, não coloquei o açúcar que a receita pedia, ficando um creme mais meio amargo. Acho que deu certo essa mudança, até porque a autora da receita nos diz que ele ficaria bem doce, mas não enjoativo. E como menos é mais, preferi não arriscar colocando o açúcar. 3) Montei em um refratário mais estreito assim fiz mais camadas ao invés de apenas uma de cada. O esquema foi o seguinte: creme branco – bombons picados – creme de chocolate – creme branco – bombons picados – cobertura de chantilly.

Usei:

10 bombons picados (usei mais 1 para colocar em cima como decoração)

Para o creme branco

  • 1 lata de leite condensado
  • 2 latas de leite condensado ( se você usar o leite condensado de caixinha ou não quiser usar a lata como medida, cada lata equivale a 300 ml. Nesse caso, foram usados 600 ml de leite).
  • 2 gemas de ovo
  • 2 colheres (sopa) de açúcar
  • 2 colheres de maisena
  • Baunilha, se quiser. (Eu gosto de colocar porque a baunilha ajuda a tirar o cheiro/gosto da gema, mas se você peneirar ela e tirar aquela partezinha branca, não fica com o cheiro/gosto. Dessa vez, eu não coloquei).
Para o creme de chocolate
  • 1 xícara (chá) de leite
  • 1 colher (sopa) de maisena
  • 3 colheres (sopa) de Nescau®
Para a cobertura de chantilly
  • 2 claras de ovo
  • 4 colheres (sopa) rasas de açúcar (Eu usei colheres rasas com receio, mais uma vez, de ficar muito doce)
  • 200g de creme de leite (ou uma caixinha – quem preferir, compra a lata e tira o soro, mas eu acho mais prático usar a caixinha.

O que eu fiz:

– Como aqui está um calorzão, deixei os bombons na geladeira enquanto preparava os cremes. Assim cortar eles ficaria mais fácil sem o chocolate derretendo no seus dedos e grudando na faca.

– No creme branco, dissolvi a maisena no leite antes de ir ao fogo para evitar a formação daqueles bolos, sabe? Depois, só juntei o restante dos ingredientes e levei ao fogo médio. Lembre-se de ir mexendo sempre até engrossar. Desligue o fogo e reserve.

– Peguei logo o refratário, despejei metade do creme branco (coisa que eu esqueci de fotografar hehe). Enquanto esfriava um pouco, preparei o de chocolate.

– No creme de chocolate, fiz a mesma coisa com a maisena e o leite. Depois, acrescentei o chocolate. Como esse creme engrossa mais rápido que o outro, deixei no fogo baixo e continuei mexendo sempre até engrossar. Desligue o fogo e reserve.

– Tirei os bombons da geladeira e comecei a picá-los bem aleatoriamente. Detalhe: Usei uma faca grande de cozinha, para desmanchá-los o menos possível.

– Lembra do refratário com o creme branco? Coloquei metade dos bombons picados em cima desse creme. Depois, veio o de chocolate. Dica importante: Você não vai conseguir despejar o creme de chocolate de uma vez só em cima dos bombons porque ele é bem mais firme. Se tentar, um lado ficará com o creme e outro não. Confie em mim! Vá aos poucos, às colheradas, para cobrir toda a superfície de bombons. Depois, coloquei a outra metade do creme branco e o restante dos bombons.

– Nunca gostei muito de batedeira, então aprendi a fazer claras em neve utilizando apenas um prato e um garfo. E olhe que sempre dá certo, viu? Consigo até virar o prato de cabeça para baixo sem que ocorram acidentes. Bati as duas claras até ficarem em ponto de neve, acrescentei o açúcar e continuei batendo. Depois, coloquei o creme de leite e voilá, o chantilly está pronto para cobrir o pavê.




– Coloquei no freezer porque eu queria comer logo, mas você pode fazer e colocar na geladeira algumas horas antes de servir.

A primeira receita do ano fez bonito! Eu não sei vocês, mas eu não achei essa receita das mais baratas do mundo. O pavê tradicional com biscoito de maisena sai mais em conta. Minha mãe comprou os bombons a 50 centavos cada, mas já vi lugares vendendo de 70 ou até 80 centavos! Assim, acho que daria para fazer na Páscoa, aproveitando os bombons que vem nos ovos ou comprar aqueles sacões em promoção nas Lojas Americanas. Não acho que seja aquela receita para você fazer todos os dias, mas numa ocasião especial cabe muito bem, já que os bombons não serão os únicos itens dos seus gastos.

Terminado o desabafo financeiro, preciso confessar que estava com saudade de fazer um post culinário. Acho que a conversa com um amigo cujo projeto de 2012 é aprender a cozinhar me fez dedicar-me a essa receita. Sei que o passo a passo é o mesmo da dona da receita, mas eu acho bacana compartilhar por aqui também mesmo que corra o risco de ficar “repetitivo”. Bom, se alguém testar (tanto a original quanto minhas adaptações) avisa o que achou =)

Beijos da Carmem cozinheira. 

Anúncios

Read Full Post »

Comida: Jantar delícia II

Mais um post de comida e dessa vez foi daquelas em que você fica com desejo o dia todo e quer fazer quando chegar em casa. Eu tenho altos desejos de comida bem aleatórios tipo aquele pão de queijo que eu comi em tal lugar tal dia, aquela pizza de dia seguinte, aquele brigadeiro que fulano vendia etc.
Tomando café da manhã assistindo ontem a um programa qualquer de culinária, vi o apresentador falar que a receita de hoje consistiria em um “Bolo férias”. Logo me animei quando ele disse as palavras liquidificador e rápido.  Um bolo salgado de liquidificador recheado com mussarela, mortadela, rodelas de tomate, tomate seco e azeitona picada. Uma combinação muito boa e visualmente apresentável.
Almocei, sai para cumprir a minha rotina universitária e cheguei em casa com uma necessidade (absurda) de fazer essa receita para o meu jantar e não deu outra, lá fui eu juntar os ingredientes na dispensa e gastar o restinho de energia que eu tinha, depois de um dia cheio, com uma comida delícia.
Não sei porque o nome da receita é “bolo férias”, uma vez que não estamos em época de férias e o programa se dizia ao vivo. Deve ser por conta da praticidade e do fato de você ficar mais preguiçoso para cozinhar nas férias. Apesar de que eu não fico preguiçosa nas férias não, ao menos no quesito cozinha. Em todo caso, vamos à receita.
Para a massa:
  • 3 ovos
  • 5 colheres (sopa) de queijo ralado ( na receita original eram 4, mas eu coloquei mais hehe)
  • 3 xícaras (chá) de leite (a massa vai ficar bem líquida mesmo, não se preocupe)
  • 1 xícara (chá) de óleo
  • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (chá) de sal
  • 1 colher (sobremesa) de fermento
Para o meu recheio aleatório:
  • Queijo qualho (teoricamente, era queijo mussarela, mas como não tinha aqui, usei o queijo qualho mesmo)
  • Rodelas de tomate
  • Azeitonas picadas
  • Meia lata de milho verde
O modo de preparo é a coisa mais fácil, como prometido. Unte e enfarinhe uma forma de buraco e reserve.
Depois, bata todos os ingredientes da massa no liquidificador. Despeje metade da massa na forma e comece colocando o recheio.
Por último, cubra com o restante da massa e coloque no forno em temperatura média de 35 a 45 minutos  ( mas como forno é igual a marido e cada um tem o seu, esse tempo é altamente relativo)
Tire do forno e corra para o abraço 🙂
Ficou bem bonito, viu?! E serviu muito bem ao próposito de saciar a minha fome. Ainda sobrou para o almoço de hoje, daí foi só fazer um arroz branco e uma saladinha para acompanhar e ser feliz!
Beijo da Carmem cozinheira…
P.S.:  1)Como eu não usei a mussarela, achei que ficou muito queijo, sabe? Eu não achei ruim, mas ele poderia ter ficado um pouco mais durinho e não toda mole por conta da quantidade de queijo que derretou e ficou aquela coisa “puxa – puxa”. Ficou parecendo um bolo de queijo ^^ Enfim, fica a dica para a próxima vez maneirar na quantidade de queijo, né?
           2) Estou sentindo falta de ver um docinho por aqui. A próxima receita a ser testada será um doce, combinado?!

Read Full Post »

Comida: Torta Salgada de Atum

E esse blog só fala de comida, é? Meus dotes culinários aflorando por aqui. Mais um domingo aleatório de cozinha na minha vida e dessa vez eu resolvi fazer uma Torta Salgada de Atum! Primeiro porque eu acordei com saudade dessa torta salgada clássica lá de casa e segundo porque por ordens de nutricionista, mesmo que eu não coma carne tenho que comer um peixinho de vez em quando por conta das proteínas, do Ômega 3 e mimimi. Então, unindo o útil ao agradável eu resolvi cozinhar essa torta para o meu almoço #foreveralone do domingo passado. O bacana dessa massa é que ela é bem fácil de fazer e é daquelas massas que você pode rechear com qualquer coisa que fica muito bom como o bom e velho frango desfiado, a carne moída, sardinha, soja ou uma boa e velha seleta de legumes. Para acompanhamento, um bom arroz branco dá conta do recado.

Vamos aos detalhes da receita, então. Como a minha forma é alta, eu resolvi fazer uma receita e 1/2 de massa porque ninguém merece torta salgada fina demais, não é verdade?

Ingredientes da Massa:

  • 2 ovos
  • 1 xícara (chá) de óleo (dá uma pena de usar tanto óleo)
  • 1 xícara (chá) de leite
  • 1 xícara (chá) de farinha de trigo
  • 1/2 xícara (chá) de maizena
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó
  • 1 pitada de sal

Ingredientes do Recheio:

  • 1 lata de atum desfiado (eu usei o que tinha aqui com ervilha, cenoura e picante)
  • Meio tomate picado sem pele e sem sementes
  • Meia lata de ervilha
  • Meia lata de milho verde
  • Cenoura ralada à gosto (como eu gosto muito, coloquei muito)
  • Sal e tempero (não coloquei nada de sal porque o meu atum tinha pimenta e não temperei o recheio com mais nada!)
Primeiro eu preparei a forma – untada e enfarinhada.
Depois, eu preparei o recheio porque como a massa tem fermento não podemos deixar ela esperando muito tempo para o processo de fermentação não começar sem a massa estar no forno. O recheio é naquela quantidade de “não quero comer massa pura”, sabe?
Com o recheio pronto (e lindo) fui bater a massa no liquidificador. Acho que todo mundo sabe disso, mas comecei colocando os líquidos para que o liquidificador consiga bater bem e deixar uma massa lisa, sem bolos de farinha de trigo pelo meio. A única frescurinha é colocar os líquidos primeiro, no mais coloca o restante dos ingredientes no liquidificador, sem muito segredo. Falei que eu usei uma receita e meia de massa, né? Isso! Daí é só fazer esse acréscimo. Ah, a maizena deixa a massa mais fofinha, então se puder colocar ela massa, vale à pena.
A montagem é a coisa mais fácil do mundo: coloca metade da massa na forma, depois o recheio e depois cobre com o restante da massa. Não fique preocupado se não cobrir muito bem porque a massa de baixo sobe um pouco e no final tudo vai ficar cobertinho, apresentável e uma delícia. Prometo!
Depois disso vai ao forno – 200°C de 30 a 40 minutos. Mas como forno é aquela coisa imprevisível, melhor você ficar de olho porque eu gosto dela mais tostadinha, mas há quem goste dela mais branquinha.
Bom, por hoje é isso. Espero que vocês gostem dessa dica de hoje e que aproveitem para testar 🙂
Beijo da Carmem cozinheira.

Read Full Post »

Comida: Torta supimpa de domingo

Se você é mulher, vai entender o meu desespero por um pedaço de chocolate. E se você é homem, provavelmente deve conhecer mulheres que na TPM ficam loucas por chocolate. Eu não sou tão (cof, cof) desesperada assim, mas confesso que um chocolatinho não faz mal a ninguém, principalmente quando seus hormônios resolvem enlouquecer. Apesar de ter exercitado o meu auto-controle durante toda a semana, vagando pela internet na madrugada do sábado, revolvi que no domingo iria ao supermercado comprar os ingredientes que faltavam para me aventurar em uma torta de brigadeiro que eu tinha visto (em um dos meus mais novos blogs favoritos, diga-se de passagem) na Minicozinha, comandada pela fofa da Heloísa!

O interessante é que apesar de aparentar ser difícil, a torta é bem fácil de fazer, mas só exige um pouquinho de cuidado nas etapas e no tempo de duração de cada uma delas. Fiz cinco modificações básicas na receita original (aqui)e vou explicar quais são e o porquê: 1) Fiz uma quantidade maior de massa porque a minha forma (de fundo falso) era maior do que a utilizada por ela, daí se eu não fizesse isso não teríamos uma torta que recebesse bem o recheio, entende? Não teríamos as paredes. 2) Acrescentei uma colher de sopa de Nescau no brigadeiro porque achei que poderia ficar muito amargo para o paladar das pessoas pouco acostumadas com chocolate meio amargo; 3) Usei castanhas picadas ao invés das avelãs porque não encontrei no supermercado que eu fui e mesmo que eu encontrasse acho que não $daria$ para usar, se é que vocês me entendem hehe e 4) Tirei as bananas da receita porque não achei, mais uma vez, que agradaria ao paladar das pessoas aqui e 5) Uma caixa de creme de leite ao invés da lata. A caixa não tem soro e talvez isso tenha deixado o brigadeiro um pouco mais cremoso do que se tivesse utilizado a lata.

Tirei algumas fotos da receita e do seu preparo, mas não sei lidar muito bem com essa coisa de “fotos de comida”, daí não sei se os registros ficaram muito bons, mas espero que gostem 🙂

Para fazer essa receita, eu utilizei:

  • Mais ou menos 300g de biscoito  maizena (equivalente a dois pacotes, considerando que no pacote que a gente compra no supermercado vem três);
  • Mais ou menos 150g de margarina derretida no microondas (umas 2 colheres(sopa) e meia);
  • 1 lata de leite condensado;
  • 1 caixa de creme de leite;
  • 1 colher (sopa) de margarina;
  • 170g de chocolate meio amargo (é praticamente uma barra inteira) picado aleatoriamente;
  • 1 colher (sopa) de Nescau;
  • 1/2 xícara de castanhas picadas ( eu peguei uma faca e fui cortando elas sem muita regularidade)

Alguns ingredientes!

Depois de separar os ingredientes, eu fiz o seguinte:
Triturei os biscoitos no liquidificador e depois acrescentei a margarina derretida. Dei uma misturada rápida peguei uma forma redonda de fundo falso e forrei o fundo dela com essa massa e fiz as laterais também. Depois é colocar no forno em temperatura mínima (160°C) por 10 minutos.

Biscoitos triturados.

Enquanto a massa vai assar previamente, vá fazer o brigadeiro: em uma panela junte o leite condensado, o creme de leite, o chocolate, a manteiga e  Nescau e mexa até ficar no ponto, ou seja, soltar da panela. Eu super comeria esse brigadeiro sem nenhum problema *-*

Brigadeiro divino.

Retire a massa do forno e acrescente o brigadeiro ainda quente nela. Em seguida, coloque as castanhas picadas por cima e devolva para o forno por 20 minutos à temperatura de  180°c!
Depois disso, como bem disse a Heloísa, vem a parte mais difícil: ver aquela torta pronta sair do forno e ter que ficar 2h na geladeira para depois ser servida. Ô tristeza, viu?! Deixei esfriar uns 10 minutinhos antes de colocar na geladeira. Ah, também cobri com plástico filme para não “contaminar” a geladeira com o cheiro do chocolate.

Depois das 2h na geladeira, desenforme e corra para se servir antes que a torta acabe! hihi

"vista aérea"

É isso. Mais um post culinário delícia por aqui. As pessoas que comeram elogiaram bastante e quase duvidaram de eu realmente tinha feito haha Tudo bem, ela ficou tão boa que nem eu acreditei nisso. Super recomendo testar em casa fazendo alterações da “minha” receita, se assim for preciso.

Beijo,

Carmem cozinheira.

Read Full Post »

Comida: Jantar delícia

Sabe aqueles dias em que você resolve cuidar de você mesmo nem que seja preparando uma comida bacana? Então, terça foi um desses dias para mim. Aproveitei que o fato de ter ido ao médico e a chuva me fizeram ficar em casa pela tarde – coisa rara por aqui – e tomei um banho mega demorado ouvindo música e fui a cozinha preparar o meu jantar. Renata uma vez, me deu a ideia de, ao invés de fazer um sanduíche nessas sanduicheiras amigas de todas as horas, o legal era montar numa forma e levar ao forno, numa espécie de lasanha. Fiz uma vez e adorei. Na terça, resolvi fazer de novo e mostrar o resultado aqui!

Eu separei:

– Pães de forma (Usei 12, com casca e tudo – 4 para cada camada, mas isso depende do tamanho da forma);

– Molho de tomate pronto (usei um com pedaços de champignon);

– 1 tomate maduro cortado em cubinhos;

– Azeitonas picadas (Não contei quantas foram, mas imagina o trabalhão que deu haha);

– 1/2 lata de milho verde;

– Fatias de queijo mussarela e queijo ralado para polvilhar no final;

– Orégano e salsa picada para dar um sabor diferente.

A montagem é a coisa mais simples do mundo: Passe molho na forma e depois comece com os pães. Depois espalhe um pouco de molho em cima deles e as fatias de queijo. Acrescente o tomate, o milho e as azeitonas. Em seguida, comece mais uma camada: pães, molho, queijo e as frescurinhas. Aqui coloquei um pouco da salsa. A última camada só terá os pães, o molho, o queijo parmesão e o orégano, para dar aquele gostinho de pizza.

Montou tudo? Leve para o forno. Eu pré-aqueci enquanto montava o prato.Coloquei para assar, por uns 15 minutos, forno a 210°C. Deixei esse tempo porque eu gosto dele mais moreninho, mas quando você ver que o queijo derreteu, está pronto!

Posso falar? Às vezes eu acho que merecemos cuidar um pouco mais de nós mesmo. Faz um bem danado! Queria ter mais tempo para fazer essas refeições, tomar banhos mais demorados e inclusive comer com menos pressa. O engraçado é que sempre  dizemos que não temos tempo para nada, né? Mas na verdade, ainda temos todo o tempo do mundo, como diria o Renato Russo. Ah, para acompanhar esse prato, folhas de alface, leite gelado com Nescau (sim, sou estranha) e Grey’s Anatomy. Já falei o quanto amo essa série, né? 

Enfim, não sou muito fã de fotos noturnas, mas acho que as cores ficaram bem bonitas, né?  Em todo caso, aqui vão os registros dessa invenção culinária. Clicando nas fotos, elas ficam gigantes…

Comida pronta para ir ao forno.

Depois da ida ao forno!

Para quem curte coisas de origem animal, acho que super combina um frango desfiado, uma carne moída e presunto. As frescurinhas também podem ser outras. Por exemplo, pimentão e cebola mudariam completamente o sabor. Ervilha ou uma seleta de legumes daria outro efeito também.  Uma vez usei purê de batata em uma das camadas haha O importante é que dá para juntar um pouco dessas coisas que costumamos ter na geladeira e fazer uma refeição bacana!

Beijo, 

Carmem

P.S.: Ah, nessa onda “sou prendada”, fiz panquecas hoje para o jantar. E como sobraram dois disquinhos, resolvi colocar banana, açúcar e canela e levá-los aberta ao microondas para ver como ficaria. Resultado: gordice pura! Sou suspeita para falar, mas ficou bem bom 🙂 Acho que a banana poderia ser substituída facilmente pela maçã e eu colocaria um pouco de mel, se tivesse aqui. Acho que poderia fazer trouxinhas também, ou usar os discos para montar uma torta com um creminho de maçã que eu vi aqui. Ou ainda, fazer aquela massa básica de torta com biscoitos maizena e manteiga e usar esse creme. Nossinhora, quantas ideias =]

Ainda sem ir ao microondas.

Read Full Post »

Olha a Bahêa!

Opa! Preciso contar que Salvador foi bacana e que eu tenho muitas coisas lindas para mostrar. (Eu sei que os posts estão mega atrasados, mas eu não tenho conseguido me concentrar em muita coisa e nem parar para escrever aqui. Então, desculpas =/) Bom, eu não fui ao Pelourinho ou a pontos turísticos, mas alguns achados gastronômicos acabaram me encantando muito 🙂

Vou começar falando do café da manhã super saudável do qual eu provei nos 4 dias em que fiquei hospedada no San Marco Hotel com Renata e Dani, colegas de quarto lindonas! Meus eleitos: Salada de frutas com mamão, melão, uva, maça e abacaxi acompanhado de mel e iogurte de frutas. Depois, leite com achocolatado, pães de queijo, de cenoura, ovos mechidos e queijo prato! Acho que esse foi o básico de todo dia (não gosto muito de sair da minha zona de conforto hehe) o que nos garantia energia para enfrentar um dia lotado (ou nem tanto assim) de atividades!

Café da manhã

Ah, tivemos a sorte de conhecer um bolo de tapioca mais que gostoso também, mas só o aproveitávamos quando chegávamos cedo hehe Eu não faço idéia de como é feito e nunca tinha provado nada parecido, mas acho que pela foto dá para perceber a textura super cremosa =]

Hummm *-*

Os almoços para uma pessoa que não come carne não é muito fácil. No primeiro dia, nos rendemos ao Subway e eu acabei pedindo o vegetariano amigo de sempre num pão de aveia e mel com molho de mostarda e mel! Não fica muito doce e é uma delícia! Nos dias seguintes, as massas dominaram o meu cardápio e o da Renata, companheira inseparável. A primeira massa foi do “Il Forno” e o bacana é que eu podia escolher o macarrão (espaguetti, fetuccine e penni), o molho (três queijos, pomodoro, bolonhesa etc) e 8 complementos como azeitonas, brócolis, manjericão, pimentão, tomate, milho, ervilha, champignon e mais outras coisas. A segunda massa eu não lembro de onde é (shame on, me =/) , mas foi uma massa verde com molho de legumes (cenoura, batata…). A terceira, foi novamente do “Il Forno”, mas eu escolhi outro tipo de macarrão, outro molho e outros acompanhamentos e acabou ficando uma massa completamente diferente e igualmente gostosa! Tudo regado a muito queijo parmesão ralado, orégano, manjericão e torradas além de água de coco ou suco para acompanhar! Se tivesse um “Il Forno” pelas bandas de cá, eu não reclamaria =]

Massas variadas

Flagra na comilança hehe

E a sobremesa ficou por conta dos Cupcakes mais que divinos da Vintage Cupcakes! ♥ Olha que vitrine maravilinda! Eu e a Renata descobrimos totalmente por acaso saindo do Shopping Salvador e tivemos que comprar um para provar e posso falar: compraria e comeria muitos *-* Trouxe para casa numa embalagem bacana (e eles teriam chegado perfeitos se o moço no aeroporto não tivesse virado a sacola =/) um para mim (Ovomaltine), outro para o namorado (Triple Chocolate), um para a mamãe (Sonho de Valsa) e outra para a irmã (Blackout e confete) e todos mega aprovaram esse “bolinho”. Comentar deles aqui me fez ficar com fome hehe Então, se você for a Salvador, Rio de Janeiro, Niterói, Goiania, Brasília ou São Paulo, não deixe de provar os cupcakes! Comi pela primeira vez e foi uma das melhores experiências de Salvador 🙂

Tem como não suspirar?! *-*

Mais de pertinho... *_*

Desculpa pelo post gigantoso, mas ainda queria compartilhar os meus registros (de mais de um mês atrás) por aqui!

Beijo, 
Carmem 

Read Full Post »

Para ser politicamente correta, o bolo deveria se chamar “Bolo afrodescendente com distúrbio esquizóide”, mas quem liga? O bolo se chama nega maluca mesmo e eu nunca tinha experimentado uma receita, o que é engraçado porque é um bolo diferente e bolo é uma coisa que agrada a palmerenses e corinthianos. Essa receita eu peguei com uma amiga (Mairla, sua linda) que fez a maldade de levar esse bolo para o lanche em uma bela tarde de sexta – feira. O que tem de diferente nesse bolo além da ausência do leite, é a ordem inversa dos ingredientes. Em um bolo tradicional, batemos ( vocês batem utilizando batereira, é? Eu sou das antigas e uso a boa e velha colher de pau hihi) o açúcar, os ovos e a manteiga até formar um creme e depois acrescentamos farinha, o leite e o fermento. No caso do nega maluca, batemos todos os secos primeiro – farinha de trigo, achocolatado (aquele que todo mundo sabe o nome hehe), açúcar e fermento formando uma verdadeira farofa. Depois, acrescentamos os ovos até formar uma pastinha. Depois, a manteiga derretida e a água quente. Ufa! E se não bastasse isso, ainda tinha uma cobertura <33 Parece trabalhoso, né? Mas é super facinho e como eu adoro cozinhar, queria ter mais tempo para essas aventuras.

Temos poucas fotos dessa vez  (Shame on me),  mas acho que dá para entender a gravidade das calorias *-*

 

A "pastinha!

 

Massa pronta para ir ao forno

 

Recém saído do forno

Bom, desculpa a falta de fotos, mas é que é chocolate, né? Alguém além de mim adora massa crua de bolo? Gente! Que coisa delicia, essa massa do Nega Maluca ♥ Eu estava mais preocupada em comer do que tirar fotos para o blog, mas prometo ser mais cuidadosa com esse espaço aqui da próxima vez – do jeito que o bolo ficou gostoso, é super mega ultra provável que eu o faça outras vezes. (TODOS COMEMORA o/)

Beijo,

Carmem


P.S. Quem provou do bolo favor se manifestar 🙂

Read Full Post »

Older Posts »